Não consegue aceder à Internet? Usa OpenDNS?

Partilhar é ajudar!

Utilizadores em França e Portugal Privados do Serviço OpenDNS: O Que Precisa Saber

Desde 28 de junho de 2024, os utilizadores em França, incluindo certos territórios franceses, e em Portugal ficaram impossibilitados de aceder ao serviço OpenDNS, esta medida surge na sequência de ordens judiciais emitidas em ambos os países, deixando milhares de utilizadores sem acesso a este popular serviço de DNS.

O OpenDNS, conhecido por oferecer uma navegação na Internet mais rápida e segura, viu-se obrigado a suspender os seus serviços nestas regiões devido a decisões judiciais baseadas em leis nacionais específicas. Em França, a ordem judicial foi emitida ao abrigo do Artigo L.333-10 do Código do Desporto francês, enquanto em Portugal, a decisão baseou-se no Artigo 210-G(3) do Código dos Direitos de Autor português.

Esta situação levanta questões importantes sobre a liberdade de acesso à Internet e a aplicação de leis nacionais a serviços globais. O OpenDNS, utilizado por milhões de pessoas em todo o mundo, oferece funcionalidades como filtragem de conteúdo, proteção contra phishing e um aumento geral da velocidade de navegação. A sua indisponibilidade nestes países europeus pode ter um impacto significativo na experiência online dos utilizadores afetados.

É importante notar que esta não é a primeira vez que serviços de DNS enfrentam restrições legais. No passado, outros países implementaram bloqueios semelhantes, frequentemente citando preocupações relacionadas com direitos de autor, segurança nacional ou regulamentação do conteúdo online. No entanto, a especificidade das leis invocadas neste caso – o Código do Desporto em França e o Código dos Direitos de Autor em Portugal – sugere que as motivações podem estar relacionadas com a transmissão não autorizada de eventos desportivos ou a proteção de direitos de autor.

Para os utilizadores afetados, as alternativas incluem a mudança para outros serviços de DNS públicos ou a utilização dos servidores DNS fornecidos pelos seus provedores de serviços de Internet. No entanto, estas opções podem não oferecer o mesmo nível de funcionalidade e segurança que o OpenDNS proporciona.

A empresa por detrás do OpenDNS expressou o seu pesar pela situação, afirmando: “Lamentamos o inconveniente causado”. Esta declaração sugere que a decisão de suspender o serviço não foi voluntária, mas sim uma resposta necessária às ordens judiciais recebidas.

Esta situação levanta questões importantes sobre o futuro da Internet aberta e a crescente tendência de aplicação de leis nacionais a serviços globais online. Especialistas em direito da Internet e defensores da liberdade digital estão a acompanhar de perto este caso, preocupados com o possível efeito dominó que poderá ter noutros países e serviços.

À medida que esta situação se desenrola, recomenda-se que os utilizadores em França e Portugal se mantenham informados sobre desenvolvimentos futuros e considerem alternativas seguras para as suas necessidades de DNS. É também um lembrete da importância de compreender as implicações legais e práticas dos serviços online que utilizamos diariamente.

Resta saber se esta situação será temporária ou se marcará o início de uma nova era de regulamentação mais rigorosa dos serviços de Internet na Europa. Por enquanto, os utilizadores em França e Portugal terão de se adaptar a esta nova realidade online, enquanto o debate sobre o equilíbrio entre a aplicação da lei nacional e a natureza global da Internet continua.

Partilhar é ajudar!

Deixe um comentário